Chame no Whatsapp

Tópicos

Monitoramento CNPJ. Homem sentado trabalhando em frente ao computador.
Monitoramento de CNPJ

Entenda como a utilização da ferramenta de monitoramento de CNPJ pode te ajudar a evitar golpes de clientes fraudulentos.

Com o crescimento do uso da internet para realizar pagamento, houve um grande aumento no número de golpistas, e as empresas que vendem a prazo não ficam fora disso. Segundo a pesquisa feita pela Protector Brasil, cerca de 20% das companhias entrevistadas não conseguiram evitar fraudes, enquanto que 54,3% economizou cerca de 5% a 30% do faturamento anual das fraudes. Esse número nos leva a entender que o maior problema da prevenção de golpes está relacionada a como utilizar as informações da consulta de CNPJ para prevenir as fraudes, pois além de ter dados de qualidade, é preciso saber como analisá-los. 

Pensando nessa proposta de entender como utilizar os dados da consulta para evitar golpes, falaremos neste artigo como se prevenir com a ferramenta de Monitoramento de CNPJ. Quer estar mais preparado para realizar análises de crédito mais segura? Continue lendo nosso conteúdo.

O que é o Monitoramento de CNPJ?

Primeiro temos que entender qual é a proposta do Monitoramento de CNPJ, esse serviço pode ser utilizado dentro da própria plataforma de consulta de clientes. O analista de crédito irá realizar a consulta padrão e em seguida poderá decidir se é importante monitorar aquele comprador. Para saber quando é necessário monitorar o CNPJ do cliente, veja esse artigo “Descubra como e porquê monitorar o CNPJ dos clientes”, esse texto vai te explicar como e quando usar.

Para simplificar, vamos utilizar como exemplo o sistema de monitoramento da Protector Brasil

Após decidir que é necessário acompanhar o CNPJ do cliente, o analista de crédito pode escolher carteiras de tipos de compradores e separá-las por segmento ou da maneira que preferir. Feito isso, a ferramenta vai disponibilizar a opção de frequência do monitoramento. As opções de frequência são: diário, a cada sete dias, 30 dias ou 60 dias. Além disso, o credor responderá se esse acompanhamento será feito constantemente ou apenas uma vez, isso vai depender da sua política de crédito.

Em seguida o responsável pelo acompanhamento vai selecionar entre os campos disponíveis, quais informações quer receber caso o CNPJ inserido sofra alguma alteração. No sistema da Protector temos opções como receber mudança de Protestos, Pendências Financeiras, Ações, Cheques, Grupo Econômico.

Por fim, de acordo com a frequência, será enviado um e-mail para o analista de crédito todas as alterações que ele escolheu acompanhar.

Agora que você já sabe em quais casos é importante utilizar o monitoramento de clientes, vamos entender quais são as estratégias para usar a plataforma. 

Como usar o Monitoramento de CNPJ para evitar golpes

Quando o cliente tem liminar 

Um ponto muito importante do Monitoramento de CNPJ, é que a ferramenta disponibiliza o número de protestos e pendências financeiras do cliente, mesmo que ele tenha liminar. Para entender melhor essa dinâmica vamos por partes. 

Primeiro é feita a consulta de CNPJ que terá as informações de acordo com o plano adquirido pela sua empresa. Nesta consulta feita pela plataforma da Protector Brasil, por exemplo, mesmo que não fique disponível a quantidade de protestos e pendências financeiras do consultado, o score vai dizer como está a situação daquele documento. Então na consulta feita com o CNPJ que tem liminar, o analista de crédito não terá disponível as pendências financeiras. Porém o score, por ser uma pontuação, vai mostrar aquele cliente como ‘Restrito’ com rating de C a F.  

Além dessa possibilidade que a consulta permite para a prevenção de clientes que possuam liminar, é possível ter certeza da condição financeira do cliente por meio do monitoramento de clientes. Este sistema, quando inserido o CNPJ para acompanhamento, irá enviar por e-mail para o analista de crédito todas as pendências, incluindo as informações dos clientes que possuem liminar. 

Desse modo a ferramenta ajuda o credor a ter mais informações para decidir conceder ou recusar crédito, diminuindo a inadimplência de:

  • Clientes que não têm condições financeiras de honrar com as dívidas; 
  • Clientes que não têm pretensão de pagar por já estar endividado; 
  • Empresas fraudulentas que querem dar golpe no mercado.

Quando o cliente quer dar golpe 

Para evitar empresas golpistas existem diversas estratégias da consulta para usar, uma das mais importantes é analisar os últimos consultantes. Na Protector Brasil temos como disponibilizar até as 99 empresas que verificaram recentemente o mesmo CNPJ que você está consultando. 

Para conhecer mais nosso sistema de Monitoramento de CNPJ, clique abaixo e conheça mais.

Com essa ampla gama de informações, o credor pode analisar quantas empresas estão pensando em conceder crédito para aquele cliente e ainda identificar qual é a frequência de últimos consultantes do cliente. Isso porque se há um alto número de empresas consultando aquele CNPJ em um curto período de tempo, pode ser que essa empresa está solicitando crédito em diversas companhias para dar golpe.

Por outro lado vale a pena verificar se nos últimos meses houve mudança no quadro societário do negócio, pois esse cliente pode estar começando a investir mais em compras de mercadorias por meio desse novo parceiro.

Além disso, dentro da aba de últimos consultantes, o analista de crédito pode verificar o segmento dessas empresas, que estão consultando o CNPJ, assim você pode avaliar se o cliente está solicitando crédito de companhias que não são do ramo de atividade dele. Por exemplo o meu cliente fabrica e vende produtos de limpeza e possui como últimos consultantes, empresas no ramo de carnes e alimentação. Analisando essa informação, chego a conclusão de que não faz sentido que uma empresa de produtos químicos precise comprar uma alta quantidade de alimento perecíveis. Portanto, é possível que esse comprador queira dar golpe.

Pensando em todas essas questões, é possível evitar golpes com a consulta, certo?

Porém há alguns casos que pode não estar tão evidente assim a intenção do cliente e nessas situações, o Monitoramento de CNPJ é essencial.

As empresas fraudulentas têm cerca de dois meses para dar golpe no mercado. Isso porque os boletos vão começar a atrasar e os credores vão passar a negativar e protestar esse CNPJ, sujando o nome do comprador.

Então caso não tenha muita segurança de que o cliente é adimplente, pode acompanhar o histórico de pagamento dele por algumas semanas para saber se ele terá alguma alteração restritiva. Assim sua empresa consegue se proteger muito mais de compradores mal intencionados e não perder uma boa oportunidade de venda. 

Uma outra abordagem interessante é conceder o crédito e até o prazo de entrega da mercadoria, monitorar o cliente. Assim, caso ele sofra alguma mudança nas restrições, poderá manter a o envio dos produtos ou cancelar.

Quer conhecer mais estratégias de como se prevenir de clientes mal intencionados? Assine nossa newsletter e receba conteúdos exclusivos!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Contato

UNIDADE SÃO PAULO

Francisco Lipi, 91 – Vila Dom Pedro II
São Paulo – SP, 02243-000

Close Bitnami banner
Bitnami